Kimbanguistas afirmam: “Governo não está a combater as confissões religiosas”

O Conselho Nacional da Igreja Kimbanguista em Angola reunida na sua 7ª Sessão extraordinária afirma que, o Governo angolano quanto ao fenómeno proliferação de Igrejas e seitas religiosas, não está a combater ninguém.

De acordo com o documento da Igreja, a iniciativa do Governo, constante no Decreto Executivo nº 1/2018, de 6 de Outubro, requere simplesmente regular as actividades das confissões religiosas para que funcionem dentro das normas e princípios legais, de modo a dignificar o papel da Igreja.

O Conselho Nacional reunido de 16 a 17 de Novembro recordou ainda o discurso sobre o Estado da Nação proferido pelo Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço quando disse “As Igrejas são importantes parceiras do Estado, sobretudo quando cumprem o seu papel espiritual e social. Devemos estudar as medidas necessárias para impeder que certas denominações e seitas religiosas, confundam a fé com negócio e a actividade espiritual e social com a actividade empresarial, blasfemando assim o bom nome de Deus”.

Os delegados provenientes de diversos pontos do país, entre os quais, Representangtes legais II Suplentes, Presidentes Inspectores, Secretário Nacional e Adjunto, Directores Nacionais dos Departamentos, Conselheiros Nacionais, Representantes, Inspectores e Secretários Provinciais, bem como, os Directores Nacionais dos Grupos, Coros, Associações, Movimentos e Serviços Provinciais, Pastores e Secretários Municipais, reafirmam que, em Angola, existe uma única Igreja Kimbanguista, liderada pelo seu Representante Legal e Espiritual, Papá Kisolokele Kiangani Paul.

O Conselho reafirma ainda, as portas da Igreja estão abertas para receber incondicionalmente, todos os irmãos que pretendem regressar, desde que, seja no espírito de paz e amor, e de acordo com os princípios e métodos da Igreja Kimbanguista.

A VII Reunião do Conselho Nacional extraordinário da Igreja Kimbanguista, considerou entre outras questões, positivo o relatório de balanço do Centenário Natalício de Sua Eminência Diangienda Kuntima Joseph, primeiro Chefe Espiritual da Igreja Kimbanguista cuja cerimónia internacional, Angola acolheu a 22 de Março do corrente ano.

O Dr Castro Maria, Director do Instituto Nacional para os Assuntos Religiosos do Ministério da Cultura, honrou com a sua presença a cerimónia de encerramento desta agremiação religiosa membro do CICA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *