Igreja Tocoista apoia ” Operação Resgate”

A Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoista) apoia a execução da “Operação Resgate”, em curso no país, desde Novembro último, desde que sejam cumpridas as regras estipuladas na lei, afirmou este domingo, o líder desta denominação cristã, Bispo Dom Afonso Nunes.

Em conferência de imprensa, realizada em Luanda, para assinalar a abertura das actividades alusivas ao encerramento do centenário do profeta Simão Gonçalves Toco, assinalado a 24 de Fevereiro do ano em curso, o líder religioso referiu que os cidadãos “não podem continuar adquirir bens comercializados em amontoados de lixo”.

Para o bispo Afonso Nunes, a medida tomada pelo Executivo com vista a pôr ordem na venda ambulante é bem-vinda, pois o lugar  para  a  comercialização de bens  é nos mercados ou em  estabelecimentos apropriados para o efeito.

Questionado sobre  o encerramento de  diversas denominações religiosas, resultante dessa operação, considerou que ao longo da história se registaram relatos de quando a adoração a Deus não era de acordo com o estipulado nas sagradas escrituras, eram tomadas  medidas para repor a ordem. Neste contexto, de acordo com o bispo tocoista, cabe ao Estado  tomar esta medida , pois em Angola já se estava a registar um desenfreado surgimento de igrejas contrárias ao estipulado nas sagradas escrituras.

Salientou que não se pode admitir que qualquer pessoa pense em abrir uma Igreja e a mesma seja legalizada mesmo que o seu objectivo seja simplesmente para extorquir os cidadãos que adiram a mesma.

Frisou que a  Igreja joga um papel fundamental na moralização da sociedade e por essa  razão não  pode compactuar com práticas negativas.

Em relação a medalha de primeiro grau da Independência, atribuída pelo Chefe de Estado, João Lourenço, ao profeta Simão Toco, manifestou satisfação pelo  reconhecimento augurando que este gesto seja o começo para que a personalidade desse profeta seja  objecto de estudo.

Afonso Nunes afirmou ainda que este gesto deve servir de reflexão  para os fiéis da  Igreja Tocoista, uma vez que estão a ser  divulgadas facetas da vida e obra do profeta  Simão Toco pouco conhecidas.

Sublinhou, por outro lado, que  espera que  um dia  na cidade de Luanda  tenha  uma vasta rua  denominada “ Profeta Simão Gonçalves Toco”.

Ao falar das actividades que encerrarão as jornadas do centenário do  Profeta Simão Toco, destacou a realização de uma conferência que irá abordar diversos aspectos da vida e obra do fundador da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo.

A conferência  que terá lugar  de 13 a 15 de Dezembro, irá  abordar, entre  outros temas, “O centenário do profeta Simão Toco e o 69º aniversário da  relembrança da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo  no Mundo”, “A outra faceta do profeta  Simão Toco como  chefe de família”, “O papel da juventude tocoista  na evangelização levada a cabo pela Igreja” e “O pensamento social  de Simão Toco no continente  africano”.

A  visita a leprosaria,  doação de sangue e o culto de  encerramento das jornadas  são outras actividades agendadas.

As actividades  levadas a cabo pela  Igreja  Tocoista  visam dar a conhecer o percurso histórico que consagra a vida e obra  do profeta Simão Gonçalves Toco, suscitar  o interesse na reflexão na vida do profeta e proporcionar  um ambiente  aberto de renovação  do conhecimento naqueles actos inseridos nas celebrações, que serão como base, a discussão de diferentes temas pertinentes previamente seleccionados.

Exaltar o perfil do profeta educador de Simão Toco na divulgação e promoção do evangelho e seu carisma na organização da Igreja, alargar o conhecimento  público a respeito da trajectória sobre a vida e obra de Simão Toco, são outros dos objectivos preconizados.

Simão Gonçalves Toco nasceu a 24 de Fevereiro de 1918, no município de Maquela do Zombo, província do Uíge, tendo  relembrado a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo a 25 de  Julho de 1949.                        Angop

Os participantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *