Lições dos Magos do Oriente

Mateus 2:1-12

O texto Bíblico diz:

“Tendo nascido Jesus em Belém da Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, e perguntaram: Onde esta aquele que e nascido rei dos Judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos a adora-lo. O Rei Herodes ouvindo isso, perturbou-se, e toda a Jerusalém com ele. E congregados todos os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo. E eles lhe disseram: Em Belém da Judeia, porque assim esta escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, de modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá, porque de ti sairá o guia que há de apascentar o meu rebanho.

E tendo os magos ouvido o rei, partiram e eis que a estrela que tinham visto no Oriente ia adiante deles, ate que, chegando, deteve-se sobre o lugar onde estava o menino Jesus.”

Esta é a história verídica e fascinante sobre os magos do Oriente. Sabemos que entre os medos e persas, havia sempre uma casta sacerdotal, respeitável de magos, que se dedicava ao estudo da natureza, com ênfase na astronomia, objectivando a influência dos astros sobre o comportamento e o destino humano isto é astrologia. Na corte da Babilónia havia uma Ordem de Magos ou sábios, em que Daniel foi incluído, por ter demonstrado muita sabedoria ao interpretar o sonho do rei Nabucodonosor.

Os magos do texto Bíblico transcrito neste sermão, pertenciam a essa classe antiga chamada Ordem dos Magos. Tudo indica que esses magos, teriam sido influenciados pelo cativeiro Judaico, e pelas profecias, o que fez com que estivessem sempre na expectativa, da chegada do Messias, Jesus Cristo.

Neste Natal, que lições proveitosas podemos tirar dos magos do oriente, para aplica-las em nossa vida?

I- Lição de Interesse por Jesus.

A Bíblia nos ensina que o Evangelho é para todos os povos para todas as raças, para todas as línguas e para todas as classes sociais. O Evangelho da Salvação é para: Os lavradores, Pescadores, carcereiros, comerciantes, militares, magistrados, sacerdotes, teólogos, em fim, é para todos: Americanos, Africanos, Asiáticos, Europeus; para pobres e ricos, servos e senhores, indoutos e doutos, a todos o Evangelho de Cristo deve atrair ou provocar interesse em conhecer Jesus. Sim, os magos do oriente eram sábios, mas, é bom afirmar que, o preparo académico não é incompatível com a fé em Deus, e fé não pode ser dispensada ou desprezada. Haveria um cristão contemporâneo de Apóstolo Paulo, que fosse mais sábio do que ele, alem de Jesus Cristo? Paulo, com a cultura invejável, foi um determinado apologista da fé cristã. Ao falar a intelectuais em Atenas, sobre a falsa crendice deles, provocou reflexão religiosa e muitos mostraram-se sensíveis e interessados ao Evangelho de Cristo e a fé Divina.

O leitor tem interesse pelo Evangelho e por Jesus Cristo? Os magos tinham tanto interesse dever e adorar o Messias, que estudaram as estrelas dia e noite e foram até Belém em busca do Salvador.

II- Lição do Sacrifício por Jesus.

A segunda lição  que aprendemos dos  magos do oriente, é do sacrifício que demonstraram por Jesus Cristo. A Bíblia não diz exactamente o lugar onde eles moravam. Só diz que eram magos do oriente. Os estudiosos da Bíblia, dizem que eles  moravam na Mesopotâmia. A palavra Mesopotâmia, tem dois significados: Mesos – que significa entre, e Potamos – que significa rios. Logo Mesopotâmia significa entre rios. Então os magos  moravam entre os dois rios do oriente, conhecidos por Tigre e Eufrates, que corresponde hoje o Iraque.

Naquela época os meios de transporte eram precários. A viagem a Jerusalém demandava muito sacrifício, renúncia e esforço titânico.

Hoje, servir a Deus exige renúncia de nós  mesmo, isto é, abandonar as coisas que gostamos de fazer, mas que, não estão em consonância com a vontade de Deus para  nossa vida e que não agradam a Jesus Cristo que se sacrificou tanto por nós.  Sim, ser servo ou missionário de Deus demanda sacrifício e renúncia. Os Magos do oriente enfrentaram, Longa distância, a caminho de Belém. Enfrentaram frio, calor no deserto, chuva, sol, fome e sede. Suportaram tudo isso para encontrar o Filho do Deus vivo e adorá-Lo em Espírito e em verdade. Receberam em troca a Salvação e alegria incontável de ver o Messias.  Quantas vezes o leitor deixou de ir a Igreja, por causa do cansaço, da chuva, do frio, do calor, da falta de vontade ou até roupa adequada? Quantas vezes deixou de socorrer alguém necessitado,  deixou de levar uma palavra de conforto, palavra de esperança, de salvação, só porque isso exigia de si sacrifício? Lembre-se, Jesus, sacrificou-se por nós a ponto de dar sua vida na Cruz. O que o leitor faz por Jesus? Os magos sacrificaram-se e foram e o adoraram.

III- Lição de Adoração a Jesus.

A Terceira lição que aprendemos dos magos do oriente, é o desejo intenso de prestar um culto de adoração ao Messias, ao Rei dos reis e Senhor dos senhores. Ao chegar em Belém, acharam o menino Jesus e lhe ofertaram, ouro, incenso e mirra, presentes que eram valores ligados a religiosidade Judaica, com os quais os judeus honravam os reis. Os magos curvaram-se diante do Salvador da Humanidade, diante de Deus que se fez homem. Ajoelharam-se diante dele e o adoraram.

Leitor, qual é a sua atitude diante de Deus, na celebração do Natal de Jesus Cristo. Quem é Jesus para si? Reconhece-o como Filho de Deus e Salvador de sua vida? A ressurreição de Jesus Cristo, no terceiro dia de sua morte, é o penhor da esperança de todos aqueles que tem interesse por Jesus, que se sacrificam por Jesus, que procuram servi-lo e adora-lo em espírito e em verdade. Esta tem sido minha alegria e esperança. Minha oração é de que, o leitor alcance também essa viva esperança no Cristo vivo – Emanuel – Deus connosco.

Fique com a bênção de Deus.

Pastor Isac Silvano – Atlanta-GA, USA 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *