Metodista Unida: Igreja quer maior participação na transformação social do país  

Os delegados à 34ª Conferência Anual do Oeste de Angola, da Igreja Metodista Unida, recomendam um maior engajamento da congregação na transformação social do país.

Segundo os metodistas, a Igreja deve estar atenta aos fenómenos religiosos que podem pôr em risco a estabilidade das famílias e a segurança de idosos, crianças e mulheres, para torna-los mais audíveis.

O encontro recomendou ainda o gabinete jurídico da Conferência Anual a interpor uma acção judicial contra Igrejas e agências funerárias que usam, de forma desautorizada, o símbolo ou sigla do Metodismo Unido como sua logo marca.

Reunidos de 09 a 13 de Janeiro na cidade dos Sumbe, Província do Cuanza Sul, os delegados recomendaram a Igreja a adquirir, junto do Ministério da Saúde, materiais e medicamentos básicos, para acudir as comunidades carenciadas.

“Que doravante nas Conferencias Anuais e Distritais, se incorpore a abordagem de temas sobre saúde, com vista a maior disseminação e conhecimento”, lê-se nas conclusões finais.

A conferência, que contou com a presença de 649 Delegados, sendo 335 Cléricos e 314 Leigos, decorreu sob o lema “Metodistas convertidos, em Busca da Santidade” e foi presidida pelo Bispo Gaspar João Domingos.

O encerramento foi antecedido de um encontro entre o Governador Provincial, Job Capapinha, e o Bispo Gaspar João Domingos.

Estiveram também presentes no culto solene de encerramento, o Governador Provincial do Bié, Pereira Alfredo, o General Eusébio de Brito Teixeira, magistrados, membros do governo provincial, pastores, bispos, representantes de partidos políticos e convidados.                                                                                                Angop

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *