Jerusalém: Líderes das Igrejas denunciam exposição blasfematória  

Os patriarcas e líderes das Igrejas cristãs em Jerusalém denunciam uma exposição blasfematória em Haifa. Numa declaração tornado público, os líderes condenam “imagens insultuosas para fé cristã” expostas no Museu de Arte de Haifa e pedem ao Município da cidade e à administração do museu que as retirem “sem demora”.

Os líderes religiosos em Jerusalém também exigem um pedido oficial de desculpas do Município ou dos organizadores da exposição sobre o tema do consumismo da sociedade israelense. O museu apresenta imagens de “Christ on the Cross” associadas a marcas de “fast food” ou brinquedos muito consumidos.

Na declaração, os patriarcas e líderes das Igrejas de Jerusalém condenam veementemente “as imagens irresponsáveis ​​e provocativas” exibidas no Museu de Arte, sob o patrocínio do Município local. O museu autorizou uma exposição destinada a criticar o consumismo na sociedade israelense.

Para os líderes religiosos cristãos, o conteúdo desta exposição inclui imagens insultuosas para as figuras e símbolos mais sagrados da fé cristã. “Esse problema é inaceitável e deve ser denunciado e resolvido imediatamente. O respeito pelos símbolos e figuras religiosas, sejam eles judeus, cristãos ou muçulmanos, deve ser preservado em todos os casos “.

“Estamos conscientes de que Israel defende o direito à liberdade de expressão e da palavra, mas a santidade da Terra Santa e as três religiões abraâmicas devem sempre ser respeitadas e reverenciadas”, escrevem na carta.

É de considerar também “tal comportamento insultuoso não ajuda as três religiões em sua missão de promover tolerância, convivência e coexistência entre os habitantes da Terra Santa e além”.                  Cath.ch/plj/be

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *