Um feriado no Líbano: Cristãos e muçulmanos celebram juntos a Anunciação  

O dia 25 de março é feriado no Líbano, por ocasião da festa da Anunciação, porque para muitos só há Maria que pode reunir cristãos e muçulmanos. A jornada do dia 25 de março foi designado pelo governo libanês, em 2010, como feriado nacional para celebrar a amizade entre cristãos e muçulmanos. Desde então, este dia é oficialmente feriado.

Por uma boa década, o Líbano testemunha uma nova cultura mariana que reúne cristãos e muçulmanos em torno da figura de Maria. Este evento ajuda a derrubar barreiras entre as comunidades. Foi em fevereiro de 2010 que o primeiro-ministro libanês, Saad Hariri, decretou o dia 25 de março “Dia Nacional do Diálogo Cristão-Muçulmano”, que se tornou feriado no Líbano.

Nagy el-Khoury, atual Conselheiro do Presidente da República Libanesa para o diálogo islâmico-cristão, foi mandatado pelo chefe de Estado para fazer do Líbano um centro internacional para o diálogo das religiões. Ele está trabalhando com dezenas de associações locais ligadas ao diálogo religioso para preparar este projeto conjunto, que será complementado por um projeto da Academia para o Diálogo Humano, que atualmente está sendo trabalhado pelo Ministro de Estado para Assuntos da Presidência, Salim Jreissati, revelou o diário L’Orient-Le Jour.

Para Nagy el-Khoury, a escolha do Líbano para tais iniciativas não é trivial: “Este é um dos únicos países onde há uma mistura real, não é um país muçulmano onde os cristãos vivem ou vice-versa. Apesar das crises e problemas, cristãos e muçulmanos vivem naturalmente juntos “.

No Alcorão, Gabriel anuncia a maternidade de Maria

O dia 25 de Março é para os cristãos a festa do anúncio feito à Virgem Maria pelo anjo Gabriel da divina concepção de Jesus Cristo, “filho de Deus”, segundo os textos bíblicos. No Alcorão, o anúncio de Gabriel da maternidade de Maria, não do filho de Deus, mas de um profeta chamado Issa, é mencionado em duas diferentes suras: a terceira sura, al-Omran (a família de Omran) e a décima nona, a surata de Maria (Mariam, em árabe).

A figura de Maria aparece, mais de trinta vezes no alcorão, ou seja, mais do que a mãe, as esposas ou a filha do profeta Maomé. Como tal, e como mãe de um profeta, ela goza de reconhecimento especial entre os muçulmanos.

Assim, muitos visitantes muçulmanos vão ao Santuário de Nossa Senhora de Harissa, na colina com vista para a baía de Jounieh, cerca de vinte quilômetros ao norte de Beirute.

O estabelecimento deste feriado nacional tem como objetivo declarado encontrar na devoção à Virgem Maria, compartilhada com os muçulmanos, um ponto de convergência entre as diversas comunidades religiosas do país.

Jacques Berset, cath.ch

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *