Bodas de Ouro: Revº Malungo & Noemia recordam primeira união

A Paróquia de Belém da Igreja Evangélica Reformada de Angola (IERA) testemunhou no culto de Domingo de Ramos (14 de Abril), a celebração de bodas de ouro do casal Malungo António Pedro e Noemia Manuel da Conceição.

Contrariamente a entrada triunfal de Jesus na cidade de Jerusalém, o casal pastoral, entra vaidosamente no templo para dar graças ao Senhor ao comemorar as bodas de ouro de vida matrimonial.

Ao entrar no templo, o noivo foi apresentado pela sua afilhada, Joana Bartolomeu Vemba enquanto a noiva acompanhada pelo afilhado, Carlos Vemba.

A Revª Deolinda Dorcas Teca nas vestes da ministra oficiante do acto e por sinal filha da mesma denominação, dirigiu o momento especial recheio de cantar de grupos corais e ao som musical do DJ paroquial.

Na ocasião, a ministra oficiante disse ao completar 50 anos de convivência juntos é sinal de que cada um correspondeu apesar de várias barreiras e turbulência à mistura. “Não é bom que o homem/mulher esteja só”, leu recordando Génesis 2:18.

De acordo com as suas palavras, essa passagem é um privilégio que Deus dá a ambos porque o espírito de complementaridade faz parte do plano ou projecto da criação.

“Com 50 anos de vida em comum, Revº Malungo e a senhora Noémia demonstraram os valores de complementaridade e se não fossem exemplares não teriam o tão grande número de afilhados que ostentam”, afirma com propriedade a Revª Deolinda.

Diante do altar do Senhor, o casal reconfirmou na presença de Deus e da Igreja, votos de contínuo amor e fidelidade, simbolizado reciprocamente com o selar de aliança no dedo anelar.

Visivelmente emocianado, o casal partilhou os altos e descidas ao longo de convivência e graças a Deus conseguiu ultrapassar terríveis obstáculos pelo que “enaltece o nome do Senhor dizendo Ebenezer”.

Um dos tios do noivo, corajoso nas suas afirmações disse, em nenhum momento a família registou queixa que podia colocar o lar em perigo. No seu dizer, se todo mundo vivesse desta forma, a palavra “violência doméstica” deixaria de existir.

Mensagens dos afilhados e da Igreja enalteceram igualmente o exemplo do casal Malungo cujo acto terminou com um suculento cocktail de confraternização.

50 anos passam rápido e vocês merecem

Cinquenta anos realmente passam rápido quando o amor é o alicerce de um lar cujo casal aplica à letra a missão de complementaridade.

O Revº Malungo António Pedro de 73 anos & Noemia Manuel da Conceição com 69 anos, contrairam matrimónio no dia 5 de Abril de 1969 na cidade de Kinshasa, enquanto refugiados radicados na antiga República do Zaire.

O acto foi presidido pelo Pastor Jean Perso Lubuekulu da Igreja da Comunidade Baptista do Zaire Oeste (CBZO) actual Comunidade Baptista do Congo Oeste (CBCO), denominação que trabalhava no exílio com então Igreja Reformada do Norte de Angola, hoje IERA.

Desta união nasceram 6 filhos a saber: Esperança Malungo, Maria Nzola Malungo, Malungo Pedro, Manuel da Conceição Malungo, Frida Malungo e Eugénio Malungo.

Revº Malungo António Pedro é um dos pioneiros do ecumenismo angolano. Foi membro do Comité Executivo no tempo do Conselho Angolano de Igrejas Evangélicas (CAIE) e do actual CICA quando dirigia a IERA como Presidente e mais tarde Secretário Geral. Durante o seu consulado foi igualmente membro do Comité Central do Conselho Mundial de Igrejas, com sede em Genebra, Suiça.

Flash de Notícias em nome das Igrejas que compõem o CICA, reafirma ainda que, o casal é a prova de que o amor não se esgota com o tempo, ele se multiplica com o passar dos anos. Parabéns pelos cinquenta anos juntos! Felicidades infinitas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *