Rede da Justiça Económica: Conselhos de Igrejas da região condenam fuga de capitais

A Rede da Justiça Económica (Economic Justice Network, ENJ) ligada ao Fórum dos Conselhos de Igrejas da África Austral (FOCCISA), reuniu no mês passado (11 a 12), no Centro de Conferências do Hotel Birchwood, Boksburg, Joanesburgo, África do Sul, os Conselhos membros para uma sessão ordinária de planificação.

Riska Koopman coordenadora do programa justiça económica, apresentou uma comunicação ligada a questão sobre a Fuga de Capitais que ao longo dos anos vem empobrecendo as economias dos países em Africa.

Para ela, bilhões de dólares que serviriam para garantir melhor qualidade de vida dos cidadãos nos nossos países, saem ilicitamente de África, para enriquecer grupos restritos de pessoas no Ocidente e fortalecer as economias dos seus países.

“Nós os cristãos e principalmente os Conselhos Nacionais de Igrejas, somos chamados a combater as injustiças económicas e sociais, para o bem-estar de todos”, referiu Riska durante a apresentação de um dos programas da EJN.

Por seu turno, Simon Vilakazi, ao dissertar sobre os programas de “Segurança Alimentar e Justiça Climática”, cujas acções foram realizadas na Africa do Sul, Moçambique, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe encorajou o empoderamento das mulheres que praticam a agricultura familiar ou em pequena escala.

Mandla Hadebe, o também oficial da EJN ao abordar sobre o INDABA, que tem por objectivo promover o diálogo entre as comunidades, empresas mineiras e governos defende o programa de empoderamento juvenil e advocacia junto das diferentes estruturas da organização da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), sob coordenação da APEX ALLIANCE, cujo objectivo principal é ter engajamento e diálogo directo com oficiais do Secretariado daquela organização regional.

Entre outros objectivos, o encontro visou providenciar informação sobre os programas da EJN, identificar os assuntos comuns, explorar sinergias, elaborar um calendário comum para os assuntos comum bem como melhorar a comunicação entre os Conselho Nacionais de Igrejas e a EJN.

Os participantes ao encontro provenientes dos Conselhos de Igrejas de Angola, Botswana, Eswatini (Swazilândia), Lesoto, Malawi, Moçambique, Namíbia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe, apontaram a falta de comunicação regular e abrangente por parte do FOCCISA, como um dos factores de bloqueio da acção conjunta, como uma rede regional dos Conselhos Cristãos, no empoderamento das comunidades e advocacia nos diferentes níveis.

A falta de financiamentos foi também apresentada como um outro problema que obriga alguns Conselhos de Igrejas a terminar programas e com isso, a redução do pessoal, limitando o seu espaço de actuação.

No encontro de planificação, a EJN prometeu em enviar o plano de actividades bienal para apreciação dos Conselhos de Igrejas que emitirão pareceres sobre o mesmo.

A Secretária Geral do CICA, Reverenda Deolinda Dorcas Teca, foi representada no encontro pelo Director Geral da Juventude (JUCICA), Irmão Manuel Gomes Bartolomeu Domingos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *