Conselho Mundial de Igrejas apoia saúde e bem-estar em África

O Conselho Mundial de Igrejas (CMI) reiterou seu compromisso de apoiar a saúde e o bem-estar em África antes da 69ª sessão do Comitê Regional da Organização Mundial da Saúde para a África.
O comité regional, formado por ministros da saúde de 47 países, é o órgão governante da Organização Mundial da Saúde na região africana. A 69ª sessão foi realizada em Brazzaville, no Congo, de 19 a 23 de agosto.  O CMI foi representado na sessão como actor não estatal.

Os ministros da saúde concordaram com um plano agressivo de controle de mosquitos e outros vetores causadores de doenças; e adoptou novas estratégias para reduzir o ônus da desnutrição e para vigilância e resposta integradas às doenças. Outras questões discutidas incluem o actual surto de Ebola na República Democrática do Congo e o projeto de eliminação de doenças tropicais negligenciadas.

Desde a sua criação, o CMI tem se dedicado à saúde em África. O CMI apoiou as Igrejas e os Conselhos nacionais de Igrejas no estabelecimento de associações nacionais de saúde cristã que agora funcionam em 36 países subsaarianos, e também na Plataforma de Associações Cristãs de Saúde da África e na Rede Farmacêutica Ecumênica que apóiam o acesso a suprimentos farmacêuticos equitativos e de qualidade na saúde da Igreja.

Durante o surto de Ebola na África Ocidental, o CMI acompanhou as Igrejas na sua resposta e apoiou o desenvolvimento de práticas funerárias seguras e dignas. O CMI também possui programas de HIV que ajudam as Igrejas a abordar os factores socio-culturais do HIV e também a se envolverem em advocacia.

Estima-se que os serviços de saúde da Igreja prestem de 20 a 60% dos cuidados de saúde na África, além de treinamento de profissionais de saúde e diversos programas de saúde e desenvolvimento baseados na comunidade. Ao apoiar os esforços do governo para promover a saúde e o bem-estar das pessoas a nível nacional, essas instalações também promovem a vida e o testemunho da Igreja.

O trabalho do CMI, das Igrejas, dos centros de saúde cristãos, da Conferência de Igrejas de Toda a África (CITA) e de outros parceiros ecuménicos contribuirá para as estratégias adoptadas pelo Comité Regional da Organização Mundial da Saúde para a África. “Em particular, acreditamos que os modelos de promoção da saúde baseados em congregações apoiarão as Igrejas na implementação de intervenções inovadoras, escaláveis ​​e sustentáveis”, disse o Dr. Mwai Makoka, Director Executivo do Programa do CMI para saúde e cura.

WCC News

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *