IRA vive reforma hà 20 anos

A Igreja Reformada em Angola (IRA) liderada pelo Rev Dr Afonso Teca, festejou dias atrás na capital do país, Luanda, o vigésimo aniversário recordando o 29 de Agosto de 1999, data que o sol raiou sobre os filhos da Igreja que gostariam de viver uma nova era fundamentada aos princípios de João Calvino: “Igreja reformada, sempre a reformar”.

Ao apresentar o Memorando da Igreja, o Secretário Geral e Representante Legal da IRA, começou por agradecer e elogiar os Reverendos Nkindu João e Lutonádio Ntekambi, seus antecessores que com muita dificuldades e vicissitudes própria de uma denominação jovem, conduziram sabiamente os destinos desta Igreja, consentindo sacrifícios que salvaram a honra e a unidade da IRA.

No seu discurso, Afonso Teca, reconhece que a Igreja que recebeu hà um ano para dirigir é dinâmica. “Julgamos ser forte com a presença activa das mulheres, dos jovens, dos adolescentes e crianças sem ignorarmos os homens que no seu jeito de se sentirem chamados por Deus têm sabido corresponder”.

Para ele, as pessoas são o activo mais importante que qualquer outro bem material, pois, são as relações com as pessoas que marcam a diferença contribuindo para o crescimento e desenvolvimento da Igreja.

Em termos de obreiros, o líder da IRA advoga ser insuficiente o número para atender a demanda aos cinco Sínodos (Cuilo-Cambozo, Cuilo-Futa, Kimbele, Luanda e Uíge) que constitui a Igreja.  “Com esta realidade precisamos de evangelizar mais para cobrir os sínodos e as áreas missionárias”.

A situação financeira foi apontada como muito fraca o que inviabiliza a materialização dos projectos em carteira alertando os fiéis reformados que a linguagem “crise económica” não deve ser encarada como um fim, antes pelo contrário, uma oportunidade para repensar a Igreja que querem ter.

“Foram concebidas algumas políticas financeiras para angariamento de fundos que muitos contribuirão para o avanço da obra do Senhor, concretamente: a implantação da Igreja nas 18 províncias do país, a formação de quadros e a criação de um fundo de apoio aos diversos serviços sociais da Igreja”, enaltece ainda.

Reconhecimento da Igreja

 O reconhecimento da Igreja, segundo o Pastor Teca, é o maior desafio que rouba o sono da liderança desde que recebeu a chave da Igreja. “Devemos reunir e entregar ao Estado angolano, 60 mil assinaturas que a concretizar-se precisamos de 63 milhôes de Kwanzas à razão de 1050 Kwanzas de reconhecimento de cada assinatura do Bilhete de Identidade no Notário. O Sínodo não tem esse dinheiro. Será que a Igreja está pronta para contribuir?”, o que vivamente foi respondido com um sim de ovação.

Por outro lado, o Reverendo Teca lançou o desafio até próximo ano, os fiéis devem trabalhar arduamente para conseguir um espaço de terreno com objectivo de erguer as instalações do Sínodo Geral. “Vamos seguir o bom exemplo de kimbanguistas”, disse o líder reformado parafraseando David em Salmos 132:4-6. “Não vou me deitar, nem dormir enquanto não encontrar um lugar para o Senhor, uma casa para o Poderoso de Jacó”.

Finalmente, o líder da IRA apelou aos fiéis a viver a tolerância no seio da grande família reformada angolana constituída pelas Igrejas Evangélica Congregacional (IECA), Evangélica Reformada (IERA), Cristã Reformada (ICRA) e a Presbiteriana (IPA). “Longe de nós o rancor, a inveja e o passado. Que o passado seja enterrado em nome de Jesus! Vamos trabalhar de mãos dadas”.

Na cerimónia cujo sermão coube ao Revº Dr Landu Lutiniko, foram igualmente apresentados os coordenadores de vários departamentos que compõem o Sínodo Geral, a entrega de diplomas aos finalistas do curso de teologia bem como aos monitores da Escola Bíblica Dominical.

Palavras de encorajamentos

A Revª Deolinda Dorcas Teca nas vestes de Secretária Geral do CICA, pediu aos fiéis reformados a levantar-se fisicamente, emocionalmente e espiritualmente. No seu dizer, se a nossa fé for fingida não vamos levantar de maneira nenhuma. “Não haverá desenvolvimento se não respeitarmos os potenciais que cada um possui” apelou convidando os presentes a viver na concórdia.

Por seu turno, o Revº Alberto Daniel, Secretário Geral e Representante Legal da Igreja Evangélica Reformada (IERA), a que os fiéis aplaudiram muito durante as saudações, parabenizou a família reformada especialmente a IRA. “Somos ovovivíparo”, disse simplesmente à laia de conclusão.

Durante o culto de acção de graças a Deus, presenciado por vários convidados e líderes da família Reformada em Angola, os aniversariantes observaram um minuto de silêncio em memória dos pastores que já não fazem parte do mundo dos vivos.

Templo de Emanuel, Palanca

 

Convidados

 

Secretária Geral do CICA
Coro Cotec, IRA
Flautas, IRA
Rev. Teca apresenta os coordenadores de diferentes departamentos Sinodal

Rev. Alberto Daniel abraça finalista do curso de Teologia

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *