A felicidade dos Mansos

Mateus 5:5 – A felicidade dos mansos, é a terceira bem-aventurança do sermão do monte proferido por Jesus, que se encontra no Evangelho Mateus, capítulo 5 verso 5. Jesus disse: “Bem-aventurados os mansos porque eles herdarão a terra”.

Amigo leitor, no mundo em que vivemos hoje, competitivo, agressivo, de luta pela vida e constantes reivindicações, não Ihe parece estranho que alguém seja feliz por ser manso? Jesus ao proferir essa bem-aventurança, sabia que e possível ser manso neste mundo e experimentar a felicidade que advêm da mansidão. Felizes são os mansos porque eles herdarão a terra.

O que significa ser manso? Manso, é tradução da palavra grega Praus, um dos termos mais elevados do vocabulário ético. Aristóteles, um dos mais importantes filósofos gregos que tratou dos mais variados temas e que teve influencia decisiva na cultura ocidental, emprega a palavra Manso, para significar o meio termo entre o excesso de ira e a completa passividade. Aristóteles define a virtude como o meio termo, o equilíbrio, ao dizer que a virtude esta no meio.

Esta bem-aventurança proferida pelo Senhor Jesus, significa que é feliz o homem ou a mulher que fica irritado quando deve e nunca fica irritada quando não deve. A Bíblia diz: “Irai-vos mas não pequeis.” Efésios 4:26. A outra conotação de mansidão, e de domesticação ou controle. Feliz o homem ou a mulher, cujos instintos, paixões e impulsos estão domesticados, estão sob controle. Feliz o homem ou a mulher que aprendeu a dominar-se diante de situações difíceis ou momentos de provocação.

Mansidão denota também a disposição de viver com humildade sem a constante reivindicação de direitos, mas no cumprimento dos deveres. A Bíblia diz que Abraão era um homem manso. De facto ele provou isso quando abriu mão de direitos pessoais como mais velho, em favor de seu sobrinho Lote, por amor a paz entre eles.
Ser manso não significa sofrer resignada e passivamente a injustiça e a maldade, mas é ter sabedoria para reagir com coragem e equilíbrio, na medida do amor, diante de situações adversas, sem perder o controle das emoções, sem se exasperar, sem pagar o mal com o mal, antes retribuindo o mal com o bem. Sofrer passivamente o dano da injustiça não é mansidão, é conivência com o mal, e covardia.

O Espírito de Deus não produz em nós covardia mas coragem. A Bíblia diz: ” Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio.” 2 Tim.l:7.
A virtude da mansidão significa não ofender, nunca agredir e se for agredido, responder com amor e com espírito de perdão. Nosso modelo de mansidão é Jesus.

Ele disse: “Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”. Mateus 11:29. É na mansidão que encontramos descanso para as nossas almas. Portanto, mansidão é o sentimento que deve dominar todos os nossos relacionamentos, no lar, na Igreja, no trabalho, na vizinhança, e na sociedade em geral. A mansidão é irmã siamesa da humildade, que é o reconhecimento sincero das próprias limitações. É preciso ter a coragem de Cristo para ser realmente manso, pois os mansos prevalecerão e herdarão a terra.

Como ja escrevi, mansidão é o meio termo entre o excesso de ira e a completa passividade. Isto requer de nós o domínio próprio, para controlar nossas emoções e nossa vontade. Requer de nós domínio próprio no olhar, no acesso as páginas da Internet e navegar no seu conteúdo, domínio próprio no volante do nosso carro, quando conduzimos nas grandes cidades como Luanda ou outras cidades, com o transito confuso; Domínio próprio no supermercado ao empurrar o carrinho atrás de pessoas que ficam a nossa frente bloqueando o nosso caminho; Domínio próprio no falar e no reagir contra as provocações do marido, da esposa, dos pais, dos filhos, dos vizinhos, dos colegas de trabalho e dos irmãos da Igreja.

Precisamos viver e respirar mansidão. O leitor dirá: Pastor Isac será possível vivermos a mansidão em pleno século vinte e um, quando tudo em nossa volta milita contra a nossa vida cristã? Sim, é possível, pois Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e para sempre.

O poder do Espírito Santo não arrefeceu com o passar dos séculos. Basta buscarmos a Jesus e a Sua Palavra, que jamais estará com a data de validade vencida! “Bem-aventurados os mansos porque eles herdarão a terra.” Feliz é o homem ou a mulher que aprendeu a controlar seus instintos, impulsos e paixões, porque colocou sua vida sob o governo de Deus, e que tem suficiente humildade para reconhecer sua própria ignorância e debilidade.

Esse homem ou mulher é abençoada na terra, respeitada entre os homens, abençoada por Deus e herdará o reino dos céus. Que este homem ou mulher seja o leitor que acaba de ler este sermão.
Fique com a bênção de Deus.

Rev. Isac Silvano
Atlanta – GA – USA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *